sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Maria Flor quer terminar o ano com um poema que gosto muito de Gabriel Garcia Marquez:

Uma mulher deslumbrante
não é aquela que mais
homens tem a seus pés.
Mas sim aquela que tem
apenas um que a faça
realmente feliz.
Uma mulher formosa não
é a mais jovem.
Nem a mais frágil, nem aquela
que tem a pele mais sedosa ou
o cabelo mais chamativo.
É aquela que com apenas
um sorriso franco e aberto
e um bom conselho pode
alegrar-te a vida.
Uma mulher de valor não,
é aquela que tem mais
títulos ou cargos academicos,
E sim aquela que sacrifica
seus sonhos temporariamente
para fazer felizes os demais.
Uma mulher deslumbrante não
é aquela mais ardente e sim a
que vibra ao fazer amor somente
com o homem que ama.
Uma mulher deslumbrante não
é aquela que se sente adulada
e admirada por sua beleza e
elegancia,
E sim aquela mulher firme
de caráter.
Que pode dizer "Não".
Maria Flor se senti  como: 
O DOCE SABOR DE UMA MULHER DESLUMBRANTE"
 
 

quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

Eu não entendo se foi responsabilizada pelos dias que se seguem ao meu redor, mas ultimamente ando com o coração delicado. Não que esteja deprimida, nada assim. Mas me sinto jururu,sem brilho. Não tenho nehum motivo aparente. Acho que existe bem mas coisa á agradecer, mas às vezes e inevitável no fim do ano não ficar melancólica. As bolinhas coloridas de natal me trazem lembranças de infância tão doce, que é tão estranho pensar que não sou, mas aquela menina. Eu sei que demorei um bom bocado para crescer, E sei que ainda ajo como se fosse uma pré-adolescente rebelde às vezes. Mas às vezes perco a paciência com algumas coisas. Mas de qualquer forma me sinto forte.
É tão lindo ver imensamente o quanto todas as coisas que não faziam sentindo algum, passam a ter sentido agora. Tão claramente. Confortador ver que meus olhos ainda andam cheinhos de esperança. E tão bom saber que tudo permanece quando se acredita. Sei que meu coração esta delicado mas sei que vou continuar acreditando. E lindo ver em volta que existe algo muito maior quando se acredita na simplicidade das pequenas coisas.

domingo, 16 de dezembro de 2012

sexta-feira, 14 de dezembro de 2012


Estou meio contagiada em alguns textos que ando lendo acho que deve ser por estar cursando letras ando meio critica nos romances.  Até parei de escrever no blog de tão fissurada nos personagens. Fico imaginando que eles poderiam estar no “mundo real”. Eu fico olhando dentro de mim e sinto vontade, de ser Peter Pan, simplesmente. O fato é que os sentimentos do mundo sempre se destacam no lado covarde e ambicioso das pessoas, a perda de coragem. O universo gira em torno do ter do sobreviver. Hoje andando na rua vi uma frase que me fez refletir “Você vive o sobrevive?”. Talvez a realidade se baseie em fatos sociais individuas de cada pessoa. Mas o que, mas me encanta da vida e a busca de sonhos individuais. Estes sonhos transformam o mundo em algo ideal.Maria Flor, vive no mundo idealista  ha há! A quem diga que Maria Flor é sonhadora. Mas gosto da ideia, de viver em mundo feito de sonhos individuais.Embora cada um tenha um mundo ideal, a vida é cheia de ideias brilhantes não percebidas. Gosto da simplicidade de observar que cada coisa depende da outra para se tornar única.
Como diz um ditado indiano que amo tanto para variar:
“Somos como jovens pássaros; ainda estamos aprendendo a voar. Arriscamos vôos de um galho para outro, mas ficamos na mesma árvore. Tememos perder o abrigo, por isso não voamos mais longe. Para ultrapassar os velhos limites da consciência só precisamos de duas asas: conhecimento e leveza. Abrir o cadeado do intelecto, com a chave do entendimento. Abandonar a preocupação e insegurança que imobilizam nossas asas e usar toda autonomia de vôo.”
Maria Flor ainda acredita da força de um coração honesto  e corajoso cheio de amor. Prefere magoar a si mesmo.  Ainda que tema magoar os que ama. Mesmo que ainda magoe os que ama sem querer magoar. Mas às vezes é inevitável ñ se machucar as partes da laranja, mesmo ñ querendo.  Afinal os sentimentos acontecem a todo o momento isto é fato. A única maneira e sermos honesta consigo mesmo e com os outros envolvidos. Mas esta é a arte de viver.Descobrir sentimentos a todo o momento mesmo ñ querendo. Acho que é por isto que gosto de sentir meus sentimentos nas pequenas formas de me expressar, através de pequeninos gestos.

terça-feira, 20 de novembro de 2012

Maria Flor anda meio Berimbau.
Como diz meu lindo Vinicius de Morais misturado com Toquinho...
Se não tivesse o amor,se não tivesse essa dore, e se não tivesse o sofre, e se não tivesse o chorar;
 " Melhor era tudo se acabar"... !

quinta-feira, 15 de novembro de 2012


Arquitetei uma maneira de relembrar meus antigos costumes, lembrei-me da minha infância e achei meu antigo diário, com retratos e papel de carta e seus perfumes. Significavam tanto para mim. Foto do meu primeiro Ballet, Como era uma bailarina torta dançando! Acho que nunca tive jeito para sapatilhas apertando meu pé. Sempre gostei de dançar descalça girando minhas saias, com passos livres. Lembro-me de colocar uma pequena flor amarela no cabelo, meu vestido azul de bolas brancas, e  de dançar Aquarela ao som de Toquinho de pés descansos na areia do parque. Acho que sempre fui muito menininha, que adorava minhas bonecas com vestidos coloridos e acreditava em principies encantados. Pobre menina! Enquanto as crianças choravam ao olhar um palhaço, eu amava velos com sua bolas vermelhas no nariz. Seu jeito engraçado de mostrar que a vida pode ser bonita com simples sorriso. Acho que por isso gosto tanto de Charles Chaplin.  É tão magico a forma de demostrar as coisas sem uma única palavra. A forma como ele me faz rir é tão lindo. É tão bonito ter um dom despertar sorrisos. A alegria é uma das qualidades  que mas me encanta na existência do universo. Acho que sinto saudades de ser aquela menina. Estabanada. Mas sabe, acho que ainda coloco minha blusa do lado ao contrario, sem perceber? Continuo sendo sonhadora. E ainda gosto de comer brigadeiro de colher. De ouvir o som das coxinhas do mar, de tomar iogurte e fazer bigode. Adoro ouvir as cordas do violão, e dançar com olhos fechados. Quem sabe algum dia cresça. Mas Maria Flor aprendeu: Que para ser homem tem que ter a grandeza de menino.

domingo, 11 de novembro de 2012


Sabe, acho que não consigo, Meus dias precisam de verdade. Eu jurei. Que eu meus olhos castanhos não trariam chuva. Cansei? Mas é melhor desistir quanto antes... Eu preciso acabar de recolher meu sorriso, Acho que me enganei nisso.  Pensei que haveria algo diferente das mentiras que vivi. Mas tudo não passou de um discurso intelecto mentiroso.  Corta-me o coração. Cada um é o que pode ser. Mas não tenho direito de julgar. Decidi apagar o que achei que fosse. Realmente lembrei que exagerei no que disse como sempre, pois é,concordei,achei que estaria sendo imatura fugindo dos fatos, mas me enganei. Estava certa desde o começo destas linhas tortas que formei.As coisas são como são. Então eu decidi concertar todo de alguma maneira e recomeçar no meu mundo, e organizar, me trazer conforto. Eu vou levar tudo de mim, mas uma vez, que é pra não ter razões pra me arrepender depois. As escolhas já foram feitas. Deixa-me passar por essa porta. Entendo cada um vive com que se tem, Não pensa que julgo, recrimino, Apenas Maria flor não gosta de viver escondida, mas eu realmente preciso ir. Sair dessa vida de mendigar amores. Quero ser única. Eu mereço algo único. Alguma historia são bonitos simplesmente pelo fato de ter a simplicidade da verdade. É eu concordo com isso. Como o filme Doce Novembro. O ateus sempre é belo. E muitas vezes é necessário. Ficará tudo bem. Maria Flor vive dias de confusão...

quinta-feira, 8 de novembro de 2012


Caminho, e observo que o céu anda meio amarelo ultimamente, meus olhos andam meio cansado de dias escuros, Inimizade, mentiras, enganos, meio- termo das coisas. Não estou interessada nestes fatos! Pouco me importa.  To cansada dessas pessoas que dão valor pra atitudes desinteligentes que transforma pequenas coisas em grande coisas.  Acho que resolvi acordar. Acho que beleza da vida é um lindo Mar Azul. Simples e grande ao mesmo tempo. Simplesmente a beleza virou embalagem. A beleza se transformou inteligência artificial. A beleza da vida é como diz este ditado indiano:
" O sol que não cobra por seus raios. É o ar que preenche todos os recipientes por dentro e por fora. É o oceano que aceita todos os tipos de rios sem questionar suas origens. É a árvore que não se vangloria ao dar sombra e abrigo e curva-se para oferecer seus frutos. É a água do mar que dissolve as rochas da arrogância inflexível. É a água doce do rio que mata a sede de todos que vêm na sua praia. É o chamado do sábio que ama o que sabe e sabe o que ama."

domingo, 4 de novembro de 2012



 Maria Flor é uma moça pequenina, mas de grande coração. Mistura morena, meio rosa vermelha. Moça do abraço  sorriso colorido e dos olhar castanhos.

sábado, 3 de novembro de 2012

Como diz meu lindo Cartola:
"Maria Flor ouça-me bem:
Preste atenção, o mundo é um moinho,vai triturar teus sonhos, tão mesquinho.
  vai reduzir as ilusões a pó.....

sexta-feira, 2 de novembro de 2012


Foi ontem que me coração me desafiou à ligar de um numero restrito, mas uma vez, o silencio falou por mim. Faltam dois meses para terminar o ano, e isso me assustou. Talvez seja a dose de vodka também. Eu fiz! O fato é que foi ontem que me deu melancolia desses dias tão confusos que seguiram deste ano 2012. Maria Flor  viveu dias em espera de primavera, agora só me restam  duas folhinhas no calendário. Ontem, quando chegou Novembro  lembrei do meu aniversario de 30 anos, fiquei  com memorias de planos não realizados. Meu coração se calou por um minuto.A vida segue, apreende que em um dia, você acredita em algo e no outro não.  Lentamente, os dias do calendário se seguem. Os mês vão passando. E a vida segue.  O ano parece a memoria de um trem, ora mas bonito, ora mas triste. As cenas voltam na memoria com uma intensidade forte em Maria Flor. Lembro do ultimo abraço “Fevereiro .“
Chego ao presente sinto paz e confusão. Observo as cenas na janela deste trem. Tento lembrar somente do que trouxe flores. Mas os espinhos ainda são muito forte em Maria Flor. Me protejo com tecidos coloridos, atra-vez dos meus vestidos e junto  levo as marcas deixadas em minha alma.
Os dias atuais me alegram com um lindo sorriso brilhante.As horas passam rápidas com o meu falecido Messenger(MSN),que agora resolvi ressuscitar,quem sabe assim fico mas perto. Mas sei que isso não me trazem segurança. E segurança se dá com verdade. Não adianta se enganar com as aparências, porque o que há de, mas bela é a transparência da aguá. Maria Flor não se engane novamente.
Novembro chegou! Mas um ano se aproxima do fim.
A chegada de um novo ano se aproxima. Novos dias viram e a viagem deste trem tem que continuar. Sigo a espera de um novo ano. Com a chegada do carnaval como diz aquela musica do Chico Buarque “Cicatrizes” que dure em quanto é carnaval.
Maria Flor completa 31 anos 18/11/2012.




sábado, 27 de outubro de 2012


Eu vejo um livro na estante e penso em uma linda historia, espero as ideias surgirem. Acho que os que, mas me agrada ultimamente são as historia populares. Ou talvez autores Brasileiros como Machado de Assis, na sua obra brilhante “Helena”. Acho que tenho me sentindo um pouco Helena ultimamente. Alguns raros dias que parecem flores de primavera, e outros tantos chuvas e temporais sem fim, cheio de destroços de folhas húmidas perdidas no chão. Sinto-me frágil e ao mesmo tempo vejo-me obrigada a arriscar a seguir, deixar a vida transformar-se em música. Então deixo de ser um personagem e passo a ser um agente da minha própria existência. Cobram-me rapidez. A tanta coisa a fazer, as horas surgem no relógio vejo os minutos rolarem acelerados. O sorriso e os abraços ficam para trás alertando-me que a existência e como diria certo autor indiano é como uma conversa com os dedos das mãos, cada um exalta sua própria importância, porem individualmente nenhum deles e capaz de realizar nenhuma tarefa. Todos precisam trabalhar juntos. Esta é a maravilha existência. Nunca se para o que preciso terminar. Apesar de às vezes ser interrompido sei que sou capaz, sou capaz, você é capaz, repito como um mantra. Através do silencio dos olhos tento esconder da triste a realidade. Ela parece tão ausente. Na verdade ela se mostra o que não se vê. Preciso colorir as paginas sem cor. Transformar meus dias. Maria Flor se senti com bonecos de marionete guiados por seu criado espiritual.

sábado, 20 de outubro de 2012


Resumido:
Preciso registrar, mas detalhes de pequenas coisas. Que seja um pouco a cada dia. Decifrei algumas lembranças antigas, senti saudades dos detalhes pequeninos. O cheiro o toque o simples olhar. Mas também, á um sorriso boba: quanto mais me lembra, melhor fica os detalhes. Ok, talvez o tempo leve embora estas lembranças de pequenos detalhes. Eu realmente não sei. Única coisa que realmente sei, é que sou autora da minha história, então desenhei todas as cores e abraços deste pequeno detalhe de lembranças coloridas. Sei que fui ingênua de acreditar, isso é um fato.  Eu apenas senti da melhor maneira que pude. Palavra difícil nunca consegue falar. Criar concordâncias e poesia, só consigo nos pequenos detalhes da escrita. Talvez este seja meu maior defeito não falar o que precisa ser dito. Mas ninguém é perfeito. Deixe estar, o tempo dirá. Como diz esta frase de um certo autor:
“Amo a liberdade, por isso deixo as coisas que amo livres. Se elas voltarem é porque as conquistei. Se não voltarem é porque nunca as possuí.”
Maria Flor acredita nesta frase....

sábado, 6 de outubro de 2012


 O sol já clareia no meu quarto as luzes iluminam em toda parte. O dia de verão se anuncia. Meu ainversario se aproxima que medo! 18 de novembro 2012 31 anos. Mas não importa pois as cores coloridas irradiam nas flores que Maria Flor coloca no seu cabelo. Meu sorriso já fica com cara de covinhas por todo rosto. Os vestidos de Maria Flor desenham palavras bem bobas só pra dizer o quanto Maria flor é pequenina neste mundo. O mar entra no meu intimo. Seu cheiro é tão presente que me lembro dos detalhes do meu cabelo arrepiado. Tenho saudades de olhar no fundo do azul do mar. Acho que foi o sol iluminando que me fez relembrar. Será que o verão me trará as flores? Ainda lembro-me de janeiro. Clara Nunes e os tambores do maracatu e minha saia girando nos dias de verão. E tão bonito ver a simplicidade do som dos tambores. A alma simples, á gente se conhece no íntimo, a gente se reconhece nos suspiros, na troca de olhares. Á lindo tambores. Maria Flor sente orgulho de ser Brasileira. Lembro-me dos abraços sinceros, das danças folclóricas. É principalmente das cores de verão. Maria Flor se senti viva com giros da sua saia.

quinta-feira, 4 de outubro de 2012


Desculpe, mas hoje minha vontade foi ser a mocinha do livro — na maioria das vezes — escolho um livro com o personagem, mas ausente. Aquele que não diz nada, mas observa e faz tudo em silencio observando. Sorri pelos olhos. Ajuda sem interferir em destinos traçados. Que gosta de fazer os outros felizes, mas do que a si mesmo. E como se a felicidade fosse feita de sorriso inesperado. Acho que nunca gostei de protagonistas. Feliz mesmo fica em contos inesperados. Mas hoje me senti tão frágil. Me deu uma vontade de ser resgatada  por príncipe de cavalo branco.Com lindo céu azul de fundo. Talvez seja meio bobo, ingênuo, mas juro que me deu. Maria Flor senti o coração frágil. 

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

quarta-feira, 26 de setembro de 2012


Caminho, meio sem saber, Olhando para cima e para baixo. Abre o braço para um dia colorido, fechei meus braços para dias cinza, Tento andar em passos lentos. Um dia de cada vez! Melhor assim! A vida fica, mas simples. Menos complicada! Olho para o mundo, mas consciente, Quem sabe me deparo com situações menos trágicas. Faço carinho em meu rosto para desenrolar os medos da minha alma. Ouso meu coração, mas tranquilo.  Danço no balanço da música. Afinal tenho que aprender bem rápido — os movimentos giram conforme o universo dita a melodia. Talvez a definição felicidade seja isso: ouvir o ritmo da existência. Não dá para compreender a vida segue de acordo com nossas escolhas, porque o tempo não para. A existência funcionando, girando, junto ao planeta. A infância ainda é um processo de crescimento, o universo não deixa de se transformar e todo momento tem algo nascendo, algo morrendo, pessoa se despedindo, e entrando na vida. A magoa ainda exista. As lembranças permanecem de dias simples. Idealize-se uma forma de vida, menos sofrida. Mas os problemas fazem parte da existência, dificuldade todos passam. Ela serve para o aprendizado de uma essência, mas limpa eu acho. Mas existe dois lados.Maria Flor vive dias de aprendizagem.

domingo, 23 de setembro de 2012

Existia um lindo Beija flor no meu modo de enxergar setembro. Ele permanecia lá, aninhado no Calor do meu corpo. Ele era todo Azul. Pensei em toda trajetória que   existia com as flores junto a ele. Nas cores, No brilho do sol. Como era lindo? Eu só pensava como era simples olhar a beleza das coisas, andei dentro de mim e senti o calor da minha alma. Senti paz. Por Favor? Permaneça por aqui. As arvores floridas exalavam seu perfume por toda parte. Meu coração se manteve em silencio. Me senti tão pequenina quando olhei para o céu.
Lembrei da minha infância como era simples sorrir.Eu ainda tinha pureza naquele momento. Sentia verdade na natureza. Ali não tinha mentiras, nem explicações. Era simplesmente o que é. Cadê aquela sensação de teorias absurdas. Quantas vezes surtei com elas. Sem motivo. Mas agora acha que é verão”. E o céu ainda esta no mesmo lugar. porque estava escuro tanto tempo, talvez o beija flor tinha adormecido das mentiras da minha alma. Voltei a dançar com meus lindos tecidos coloridos. Isso esta me fazendo tão bem. Ate o brilho do meus olhos mudou. Também voltei a estudar, minha segunda  faculdade. Letras. Estou amando. Quem sabe assim supere meus medos de escrever errado minha vida e as palavras. Só sei que o beija flor esta lá novamente. Eu ainda tenho medo, na maioria das vezes Logo o sol irradia toda sua rebeldia e eu terei que me arrastar para mais um dia. Maria Flor senti o gosto de dias diferentes.

sábado, 15 de setembro de 2012


Comecei a pensar em arrumar meus olhos com uma linda maquiagem. Daquelas que deixa meus olhos bem grandes. A boca pintei com batom vermelho ,para que meu lábios ganhe cor.    Lembrei-me daquela canção do Chico.  Que fez meu rosto sorrir.” Feijão Completo. Enfim me senti feliz sabe?. Me senti bonita por dentro e por fora . Ar, . Então comecei a dançar em frente ao espelho., brinquei com meu rosto, de todas as maneiras, resolvi me amar um pouquinho. Posso falar? Foi divertido... Passei um  lápis preto e contornei meu olhos  ficou  mais escuros que o normal, até que me cedi ao dourado iluminador da minha sombra Sei lá, vai ver sempre quis ter um brilhando que destaca-se o calor do sol no meu rosto e levar um pouco de luz para os espaços tristes do meus olhos. Pode me olhar!. Eu vejo meu sorriso mais bonito quando minha alma tem luz, eu vejo meus olhos mais brilhantes  quanto meu coração fica em paz . Parece que sou mais eu, entende? “Morena”? Maria? Flor?

sexta-feira, 7 de setembro de 2012


Ultimamente tenho me sentido uma grande moça  naquele  e não cresceu. Me  sinto como se a vida me leva-se para outra direção. Acho que contornei minha trajetória é me dei conta  que a vida segue. Todos os dramas se tornam romance com o tempo.


Faz parte da história tão intensamente, a gente  olha para a vida e se da conta  de como ela  magica. Sei lá, num dia eu a achava a vida sem cor e no outro acha ela  intrometida. E no outro dia  me sentia em um  filme, ou talvez em uma  festa, e as vezes acho ela secreta . Maria Flor sente afeto daqueles que quer pra vida inteira, daquelas que quero perto. Quero a risada mais gostosa, o temperamento mais autêntico, as cores de Amodolvar, sempre levemente exagerada .

Sinto meu coração mas leve. Estou caminhando com leveza.

Quero mudar meus conceitos. Maria flor senti o gosto de dias diferentes.

domingo, 5 de agosto de 2012

Eu não queria saber nada, se quer queria lembrar-se desse moço, mas me deu uma imensa vontade de saber algo. Apesar de tudo me preocupo.  Eu compreendo que prometi.Que você seria só uma memoria,  da minha historia. Tú desaparecerias de vez, ou alguma coisa desse tipo, mas é  que é só olhar para os lugar que passo e tudo me faz lembrar daquele sorriso de menino que um dia acreditei.
Então ouvi aquela musica que te vi dançar um dia, e pensei que talvez esteja-te jugando mal. Que você é só um menino deste mundo de cão tentando ser algo. Toquei  meu coração e lembrei que você vive fazendo as pessoas sorrirem com este jeito de menino .E  sua alegria me fez sorrir. Sonhei com você e acordei com uma dor no peito, Por isso te liguei. Só queria saber se estava tudo bem. Afinal ñ preciso falar nada, basta ouvir sua voz que já vou saber se realmente esta bem. Ao contrário do que  pensa, não me arrependo de nada, viu?  Aquele e-mail foi  só um desabafo de alguém ferido.
Não pode disser nada quando te encontrei meu coração se calou. Isso é porque, sei lá... não sei dizer, só sei que queria saber neste moço! Não precisar dizer nada, olho para você lá de longe  e escuto tua respiração enfim desculpe mas uma vez. Uma vez aprendi que para se falar de alguém tem que olhar para si mesmo. E talvez eu também seja só uma menina confusa neste mundo de cão. E que realmente, não consigo disser mas nada, Tudo bem, você não precisa dizer nada agora, mas eu espero, que algum dia tu me digas, que se lembrava dos detalhes, da covinha do meu rosto  e das noites sambistas, ou ate mesmo do gosto do meu café, qualquer coisa assim. Que se lembrava de mim, é isso. Que bom que você está ainda do mesmo jeito. Prometo que já estou indo embora e não vou mais lhe importunar, só me deixa concluir... Obrigada. De verdade. Eu quero que tu sejas feliz, Então, tudo bem, não precisa dizer nada. É. Não precisa. Fique bem, te quero bem. Maria Flor vive dias de paz com coração. Mas ainda sim vou me manter longe....


sexta-feira, 23 de março de 2012

Eu invento uma fala pra me comunicar, enrolo e deserolo, em silencio, te vejo, parado, uma porção de vezes. Meu peito queima, coração bate e teima em doer.Deixo os meus dedo, estralando. E adormeço com os pensamentos ansiosos e as palavras se desfazendo em letras, desperto de um sonho mudo, sem cor. E a vida real me espera.Maria Flor sente o gosto de dias de outono.

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Eu ando andando em passos giro e volto, interpreto papeis, ando nas nuvens como se
fosse possível recolorir estes dias.. E, sendo assim sendo, digo
toda madrugada que isso não se vá e me esforço para que não se perder. Não consigo saber
se tudo isso tem haver com vagalume que surgiu em mim, ou talvez o passaro azul que vi
no jardim de meu sonho, ou se foi a musica do meu coração que me assustou na luz da lua, mas o é que tudo esta confuso, tão estranho, tão em branco e preto
tão cheio, transbordando, Meu deus !‘entende? dormo
amaçando meu travesseiro e ouvindo toc toc da minha respiração por dentro.
fazendo carinho no rosto.
Estou aqui novamente pensando”. Então o despertador toca,
Maria Flor sente o gosto dos seus cabelos despentiado.

segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

Só existem dois dias no ano que nada pode ser feito. Um se chama ontem e o outro se chama amanhã, portanto hoje é o dia certo para amar, acreditar, fazer e principalmente viver.
Dalai Lama