quinta-feira, 15 de novembro de 2012


Arquitetei uma maneira de relembrar meus antigos costumes, lembrei-me da minha infância e achei meu antigo diário, com retratos e papel de carta e seus perfumes. Significavam tanto para mim. Foto do meu primeiro Ballet, Como era uma bailarina torta dançando! Acho que nunca tive jeito para sapatilhas apertando meu pé. Sempre gostei de dançar descalça girando minhas saias, com passos livres. Lembro-me de colocar uma pequena flor amarela no cabelo, meu vestido azul de bolas brancas, e  de dançar Aquarela ao som de Toquinho de pés descansos na areia do parque. Acho que sempre fui muito menininha, que adorava minhas bonecas com vestidos coloridos e acreditava em principies encantados. Pobre menina! Enquanto as crianças choravam ao olhar um palhaço, eu amava velos com sua bolas vermelhas no nariz. Seu jeito engraçado de mostrar que a vida pode ser bonita com simples sorriso. Acho que por isso gosto tanto de Charles Chaplin.  É tão magico a forma de demostrar as coisas sem uma única palavra. A forma como ele me faz rir é tão lindo. É tão bonito ter um dom despertar sorrisos. A alegria é uma das qualidades  que mas me encanta na existência do universo. Acho que sinto saudades de ser aquela menina. Estabanada. Mas sabe, acho que ainda coloco minha blusa do lado ao contrario, sem perceber? Continuo sendo sonhadora. E ainda gosto de comer brigadeiro de colher. De ouvir o som das coxinhas do mar, de tomar iogurte e fazer bigode. Adoro ouvir as cordas do violão, e dançar com olhos fechados. Quem sabe algum dia cresça. Mas Maria Flor aprendeu: Que para ser homem tem que ter a grandeza de menino.

Nenhum comentário:

Postar um comentário