domingo, 11 de novembro de 2012


Sabe, acho que não consigo, Meus dias precisam de verdade. Eu jurei. Que eu meus olhos castanhos não trariam chuva. Cansei? Mas é melhor desistir quanto antes... Eu preciso acabar de recolher meu sorriso, Acho que me enganei nisso.  Pensei que haveria algo diferente das mentiras que vivi. Mas tudo não passou de um discurso intelecto mentiroso.  Corta-me o coração. Cada um é o que pode ser. Mas não tenho direito de julgar. Decidi apagar o que achei que fosse. Realmente lembrei que exagerei no que disse como sempre, pois é,concordei,achei que estaria sendo imatura fugindo dos fatos, mas me enganei. Estava certa desde o começo destas linhas tortas que formei.As coisas são como são. Então eu decidi concertar todo de alguma maneira e recomeçar no meu mundo, e organizar, me trazer conforto. Eu vou levar tudo de mim, mas uma vez, que é pra não ter razões pra me arrepender depois. As escolhas já foram feitas. Deixa-me passar por essa porta. Entendo cada um vive com que se tem, Não pensa que julgo, recrimino, Apenas Maria flor não gosta de viver escondida, mas eu realmente preciso ir. Sair dessa vida de mendigar amores. Quero ser única. Eu mereço algo único. Alguma historia são bonitos simplesmente pelo fato de ter a simplicidade da verdade. É eu concordo com isso. Como o filme Doce Novembro. O ateus sempre é belo. E muitas vezes é necessário. Ficará tudo bem. Maria Flor vive dias de confusão...

Nenhum comentário:

Postar um comentário