sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Maria Flor quer terminar o ano com um poema que gosto muito de Gabriel Garcia Marquez:

Uma mulher deslumbrante
não é aquela que mais
homens tem a seus pés.
Mas sim aquela que tem
apenas um que a faça
realmente feliz.
Uma mulher formosa não
é a mais jovem.
Nem a mais frágil, nem aquela
que tem a pele mais sedosa ou
o cabelo mais chamativo.
É aquela que com apenas
um sorriso franco e aberto
e um bom conselho pode
alegrar-te a vida.
Uma mulher de valor não,
é aquela que tem mais
títulos ou cargos academicos,
E sim aquela que sacrifica
seus sonhos temporariamente
para fazer felizes os demais.
Uma mulher deslumbrante não
é aquela mais ardente e sim a
que vibra ao fazer amor somente
com o homem que ama.
Uma mulher deslumbrante não
é aquela que se sente adulada
e admirada por sua beleza e
elegancia,
E sim aquela mulher firme
de caráter.
Que pode dizer "Não".
Maria Flor se senti  como: 
O DOCE SABOR DE UMA MULHER DESLUMBRANTE"
 
 

quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

Eu não entendo se foi responsabilizada pelos dias que se seguem ao meu redor, mas ultimamente ando com o coração delicado. Não que esteja deprimida, nada assim. Mas me sinto jururu,sem brilho. Não tenho nehum motivo aparente. Acho que existe bem mas coisa á agradecer, mas às vezes e inevitável no fim do ano não ficar melancólica. As bolinhas coloridas de natal me trazem lembranças de infância tão doce, que é tão estranho pensar que não sou, mas aquela menina. Eu sei que demorei um bom bocado para crescer, E sei que ainda ajo como se fosse uma pré-adolescente rebelde às vezes. Mas às vezes perco a paciência com algumas coisas. Mas de qualquer forma me sinto forte.
É tão lindo ver imensamente o quanto todas as coisas que não faziam sentindo algum, passam a ter sentido agora. Tão claramente. Confortador ver que meus olhos ainda andam cheinhos de esperança. E tão bom saber que tudo permanece quando se acredita. Sei que meu coração esta delicado mas sei que vou continuar acreditando. E lindo ver em volta que existe algo muito maior quando se acredita na simplicidade das pequenas coisas.

domingo, 16 de dezembro de 2012

sexta-feira, 14 de dezembro de 2012


Estou meio contagiada em alguns textos que ando lendo acho que deve ser por estar cursando letras ando meio critica nos romances.  Até parei de escrever no blog de tão fissurada nos personagens. Fico imaginando que eles poderiam estar no “mundo real”. Eu fico olhando dentro de mim e sinto vontade, de ser Peter Pan, simplesmente. O fato é que os sentimentos do mundo sempre se destacam no lado covarde e ambicioso das pessoas, a perda de coragem. O universo gira em torno do ter do sobreviver. Hoje andando na rua vi uma frase que me fez refletir “Você vive o sobrevive?”. Talvez a realidade se baseie em fatos sociais individuas de cada pessoa. Mas o que, mas me encanta da vida e a busca de sonhos individuais. Estes sonhos transformam o mundo em algo ideal.Maria Flor, vive no mundo idealista  ha há! A quem diga que Maria Flor é sonhadora. Mas gosto da ideia, de viver em mundo feito de sonhos individuais.Embora cada um tenha um mundo ideal, a vida é cheia de ideias brilhantes não percebidas. Gosto da simplicidade de observar que cada coisa depende da outra para se tornar única.
Como diz um ditado indiano que amo tanto para variar:
“Somos como jovens pássaros; ainda estamos aprendendo a voar. Arriscamos vôos de um galho para outro, mas ficamos na mesma árvore. Tememos perder o abrigo, por isso não voamos mais longe. Para ultrapassar os velhos limites da consciência só precisamos de duas asas: conhecimento e leveza. Abrir o cadeado do intelecto, com a chave do entendimento. Abandonar a preocupação e insegurança que imobilizam nossas asas e usar toda autonomia de vôo.”
Maria Flor ainda acredita da força de um coração honesto  e corajoso cheio de amor. Prefere magoar a si mesmo.  Ainda que tema magoar os que ama. Mesmo que ainda magoe os que ama sem querer magoar. Mas às vezes é inevitável ñ se machucar as partes da laranja, mesmo ñ querendo.  Afinal os sentimentos acontecem a todo o momento isto é fato. A única maneira e sermos honesta consigo mesmo e com os outros envolvidos. Mas esta é a arte de viver.Descobrir sentimentos a todo o momento mesmo ñ querendo. Acho que é por isto que gosto de sentir meus sentimentos nas pequenas formas de me expressar, através de pequeninos gestos.