terça-feira, 19 de fevereiro de 2013



 É tão estranha essa necessidade de fingir que o que foi tornou-se desconhecido. E como olhar o que nunca existiu. Queria tanto ser uma moça madura, Mas meu impulso não permitiu. Eu juro que tentei ter paz e doçura controle, mas dói tanto ainda. Maria Flor continua congelada. Mas esbarrar o que se foi e ainda existe da a sensação de vazio completo. A tanta coisa!  Minha cabeça anda confusa. Meus dias parecem ter formas de caracol. Será tão impossível assim manter a calma depois do que já se foi. Tenho tentado fechar meus olhos e sentir meu coração, talvez só assim consiga entende-lo.Mas sei que o tempo e senhor de tudo. E logo transforma.
Meu presente anda tão confuso também. Não sei o que pensar. Nem o que sentir. Parece-me que pra seguir o mesmo caminho e manter o mesmo sorriso, anda meio  difícil. Acho que o pior, é ter na memoria das lembranças aquilo que te deixou com marcas profundas, fazendo com que a vida se torne mas dura ao  se olhar no espelho.  Mas  não tem como mudar o que já foi. Então a melhor forma e seguir em frente e deixar a vida acontecer.

Nenhum comentário:

Postar um comentário