sexta-feira, 26 de julho de 2013

Dias friosssss...
Destes dias frios eternizei meu mundo, eu dificultei minhas lembranças bobas e tolas. Parei muitas vezes para descrever algumas imaginações tolas, para me convencer que a vida é um processo de escolhas. Ora bonita ora triste. Ainda não me acostumei com as mudanças que a vida seguiu. Não me habituei que as escolhas particulares fizeram a vida tomar outro rumo.  E hoje faz parte de tantas coisas. E apesar de completo minha saudade vaga por lá, ofegando e se coincidindo nas lembranças simples de pequenas partes. E ao percorrer minhas lembranças por lá, ao ver os pequenos detalhes de fragmentos de cartas, poemas mentira retratos, eu sinto a presença no meu peito se transformando. E eu sinto, tento registrar e não alcanço. Acho que necessito disso, sabe? Preciso soltar de mim. Então pensarei continuamente para que as lembranças se transformem em  mar.

quinta-feira, 18 de julho de 2013

Maria Flor anda com costumes errados pra variar. Impulsiva demais. Levo no peito aquela sensação de que não sabe disfarçar o que senti, excepcionalmente, quando seu pequeno coração vibra por dentro. Eu tento me observar por dentro.  Tenho a mania de me afastar sem diz  o porque! Mas é que tem coisas que não vale apena entender o por quê ! Respiro profundo, prendo o ar. Fico em silencio! Na hora que explodo, a coisa é, mas forte do que eu. Simplesmente acontece. Maria Flor é geniosa. Deve ser do signo Escorpião!!!
Ultimamente tenho tentado me controlar. Deixa a vida me levar sem pensar muito em passado, presente e futuro. Mas talvez Maria Flor tenha que parar de andar  flutuando em seus sonhos.

quarta-feira, 10 de julho de 2013

Nossa consegui arranjar um tempo de escrever meus textos.
A vida de Maria Flor anda meio corrida.
Hoje despertei com o coração apertado. Desviei meus pensamentos antes que eles levassem de mim qualquer lembrança triste. A madrugada sempre é minha amiga em dias de frio. Esta foi de lembranças pequeninas, ainda era madrugada. Ou quase de manhã. Permaneci um estante observando o teto. Era a insônia. Já faz um tempo, eu sei. Desde que á vida seguiu.  Eu sei que muita coisa mudou. E normal que mude. Mas Maria Flor  continuo a mesma moça de coração mole e ainda permanece  dormindo do lado direito da cama, em dias de frio se aquece abraçando seu travesseiro do lado direito da cama. Faz muito tempo, eu sei. Mas Maria Flor tem o péssimo habito de guardar dentro de si detalhes pequenos. Acho que por isto ando ouvindo muito a linda da Roberta Sá. O modo lindo que sua voz entra na minha alma me faz lembrar de dias felizes.