sexta-feira, 27 de setembro de 2013

 Hoje a Sexta Feira trouxe a Maria Flor um pensamento Gabito Nunes:
Existem aqueles dias radiantes que a gente acha que sente que chegou a hora. Só que na maioria deles, a realidade tem preguiça de superar os sonhos mágicos desse meu coração, esse que também serve de depósito para restos de amores que me acertam de raspão. Olha, não sei qual dói mais. Quando acaba, quando sentimos que acabou, ou quando a gente precisa cair na real que acabou e já faz tempo."

terça-feira, 24 de setembro de 2013



Não é de hoje que meus olhos castanhos brilham ao observar os pontinhos coloridos que ligam a linha do tempo.  Compreendo que o tom do meu cabelo ainda continua castanho, e meu sorriso permanece com a mesma covinha dos 12 anos. Só o meu rosto que anda, mas pintado.

 Quando eu faço minha maquiagem é meus olhos recebem toda a atenção. E não é só porque eu os considero minha melhor característica; Eu também nunca acabado de dar muita atenção à forma de jogar até outras partes do meu rosto. Especialmente para as noites fora, eu vou aplicar rímel, delineador, sombra e corretivo ponto logo abaixo meus cílios inferiores. Claro, eu posso passar um pouco de gloss para os lábios se bem me lembro, mas o resto do meu rosto normalmente permanece com as mesmas características.

E os meus 31 anos me parecem como longos dias pela frente. 

quinta-feira, 19 de setembro de 2013



Essa noite adormeci com pensamentos confusos, talvez porque tem um péssimo habito de analisar sem compreender. Sabe, quando as oportunidades não importam muito, quando o tempo faz você se tornar duro, mesmo que seu coração seja doce e os dias são mencionados com lindo despertar? Pois então, é mais ou menos assim que tenho me sentido. Não vou dizer que estou na onda pessimista. Juro que não é isto! Nem que sou uma pessoa amarga. Só que prefiro ser realista ultimamente.

Maria Flor sempre olhou para seu coração com tanta doçura.  Seus sonhos sempre foram tão simples. Sei lá, eu sempre senti que todos os meus abraços, me trariam segurança. Mas não foi bem assim que as coisas aconteceram.

Mas não culpo ninguém, nem mesmo a vida. Só a mim mesmo. Eu juro!

Maria Flor às vezes tem reações agressivas sim. Grita, chora, xinga, culpa mundo ao seu redor. Simplesmente não concorda.Mas é só por um período, onde seu coração se sente incompreendido. É  inevitável!  Mas forte que Maria Flor. Talvez o tempo tenha me mostrado que não existe controle sobre os fatos. E justo para Maria Flor, que sempre achou que seu pequeno coração construiria fortaleza contra os fatos.

Porém nem sempre o amor que se sente é o amor que se tem.  Mas não me importo, mas.  Fiz o meu melhor. Disso Maria Flor tem certeza.

Juro que vou tentar ser mas compreensiva. Foi isto que pensei esta noite quando adormeci.

Maria Flor vive dias de reflexão .

terça-feira, 17 de setembro de 2013

Hoje Maria Flor acordou Carlos drummond de andrade:

Definitivo, como tudo o que é simples.
Nossa dor não advém das coisas vividas, 
mas das coisas que foram sonhadas e não se cumpriram. 
Sofremos por quê? Porque automaticamente esquecemos 
o que foi desfrutado e passamos a sofrer pelas nossas projeções 
irrealizadas, por todas as cidades que gostaríamos de ter conhecido ao lado 
do nosso amor e não conhecemos, por todos os filhos que gostaríamos de ter 
tido junto e não tivemos,por todos os shows e livros e silêncios que 
gostaríamos de ter compartilhado, 
e não compartilhamos. 
Por todos os beijos cancelados, pela eternidade. 
Sofremos não porque nosso trabalho é desgastante e paga pouco, mas por todas.
as horas livres que deixamos de ter para ir ao cinema, para conversar com um 
amigo, para nadar, para namorar. 
Sofremos não porque nossa mãe é impaciente conosco, mas por todos os 
momentos em que poderíamos estar confidenciando a ela nossas mais profundas 
angústias se ela estivesse interessada em nos compreender.
Sofremos não porque nosso time perdeu, mas pela euforia sufocada. 
confiscado de nós, impedindo assim que mil aventuras nos aconteçam,
todas aquelas com as quais sonhamos e nunca chegamos a experimentar.Por que sofremos tanto por amor? 
O certo seria a gente não sofrer, apenas agradecer por termos conhecido uma pessoa tão bacana, que gerou em nós um sentimento intenso e que nos fez companhia por um tempo razoável,um tempo feliz. 
Como aliviar a dor do que não foi vivido? A resposta é simples como um verso: 
Se iludindo menos e vivendo mais!!!
A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida 
 está no amor que não damos, nas forças que não usamos,
na prudência egoísta que nada arrisca, e que, esquivando-se do 
sofrimento,perdemos também a felicidade. 
 A dor é inevitável. 
O sofrimento é opcional...





sexta-feira, 13 de setembro de 2013



Eu continuo sentindo.Eu quis de novo dizer que estava tudo bem. Que dava para fingir que nada esta acontecendo, Mas a verdade é que não consigo, mas. Não dá pra ignorar o que esta visível. Não é para ser.  A vida segue. Não tem, mas nada que eu possa fazer. Já que não posso viver um domingo de Sol. Ou talvez uma tarde de Cinema.

 Todos têm historias a ser vividas. Cansei de palavras não entendidas. Cansei de entender as estrelas que seus olhos não querem enxergar . Não quero interferir na sua historia. Quem sabe algum dia você se se lembre do meu sorriso em dias ensolarados. Sei lá, talvez você diga que prefere o normal. Ou o que á vida exige de você.   
O fato é que Maria Flor continuo sentindo que seu coração anda assistindo muitos filmes antigos. E ouvindo MPB antigos. Sei lá, preciso voltar a realidade. Como sempre sonha além da conta. Então, o melhor é não dizer nada. Sei que tem seus  motivos,  e eu respeito isto.  
 Mas por favor, não fique a me olhar com tanta doçura, Isto é pior para meu pequenino coração.  E por favor, só fique perto de mim quando realmente tiver certeza que, ao menos gostaria de tentar... Seja Feliz...!!!!

sexta-feira, 6 de setembro de 2013


E impressionante como as pessoas tem a mania de rotular sentimentos. Nomear todas as coisas, afirmando que elas só existem quando comprovadas.  Maria flor não gosta disse. Sentimentos são só sentimentos.  Não preciso de aliança para comprovar o que sente.   Nem denominar nomes para sentimentos. Maria Flor acredita na liberdade. Nas atitudes pequenas de pequenos atos.  Na simplicidade do amor, que brota no simples ato de amar.

Maria Flor acredita que o amor é sincero por si só. É o ato da troca leal sem medo do seu resultado.

Sempre acreditei que a liberdade é o amor andam juntos.  Não preciso de provas concretas, somente atitudes sinceras. De um simples olhar verdadeiro.  A fidelidade no amor se dá  ação de seu verbo intransitivo.   Maria Flor acredita que dias melhores viram .