sábado, 31 de maio de 2014

terça-feira, 27 de maio de 2014



Almejava que meu coração fosse abarrotar todo e qualquer entendimento interno.  Tantas vezes acreditei sair do meu mundo e conhecer a existência do lado de fora. Mas eu não queria só conhecer o lado de fora, imaginava ainda me descobrir tanto quanto pertencesse a mim. Então ao olhar as estrelas é encher a vida, permaneci em paz.  Lembrei-me de histórias tão incríveis que vivi. Sabe, penso, o tempo corre e se arrasta. É tudo tão rápido.  Hora claro, hora escura.
Às vezes olhar o céu, abre um pouco de espaço e transforma  o coração em fé.  No fundo acho que meu coração só quer ser olhado  com carinho.

Maria Flor vive com o pensamento nas estrelas....

quarta-feira, 21 de maio de 2014

Maria Flor esta com pensamentos de Clarice Lispector:
Não entendo. Isso é tão vasto que ultrapassa qualquer entender. Entender é sempre limitado. Mas não entender pode não ter fronteiras. Sinto que sou muito mais completa quando não entendo. Não entender, do modo como falo, é um dom. Não entender, mas não como um simples de espírito. O bom é ser inteligente e não entender. É uma benção estranha, como ter loucura sem ser doida. É um desinteresse manso, é uma doçura de burrice. Só que de vez em quando vem a inquietação: quero entender um pouco. Não demais: mas pelo menos entender que não entendo.

domingo, 11 de maio de 2014


Eu acordei nesta manhã de domingo, tomando um café bem quentinho.Precisava me esquentar da noite fria que em mim ficou. Talvez o vento frio entrou dentro de mim.  Talvez os dias frios me deixem com o coração gelado.  Nestas noites frias adoro adormecer ouvindo Chico. Não tem igual. Ouvir os versos lindos. O lindo Chico sempre entende o coração de uma mulher. Quem dera todos os homens compreenderem os dias simples do cotidiano de uma linda mulher. Uma linda mulher se dá na existência de pequenos atos. Maria Flor ama ser mulher, pra fazer carinhos com pequenas coisas.

sábado, 3 de maio de 2014

Já estamos em Maio, admirável e belo e com atmosfera cinzenta. Os dias estão, mas frios, o tempo corre com pressa, tenho, mas vontade de dar um caloroso abraço. O coração está necessitando de calor aqui dentro. Pareci-me nestes dias cinzentos tenho um aperto dentro do peito vivo a chorar. Maio mas um ano distante, escuro, solitário, meus olhos castanhos refletem as marcas deixas no meu coração. Maio é o mês das doces colheradas de brigadeiro. É assim que Maria Flor alegra seu pequeno coração.


quinta-feira, 1 de maio de 2014