segunda-feira, 23 de março de 2015

Não tenho culpa se meus dias têm nascido completamente coloridos. Simplesmente quando eu acordo decido que quero ser feliz, mas alguns ainda cismam em querer borrar minhas cores. Muito menos tenho culpa se o meu sorriso é verdadeiro, espontâneo e acontece por motivos bobos, mas especias pra mim.

Não tenho culpa se meus passos nem sempre são firmes. Eu não sou perfeita. Eu tropeço e caio de vez enquando, na verdade, caio bastante e isso não me machuca. Tenho certeza que a cada tombo eu consigo levantar mais forte.

Meus olhos tem tido um brilho bem mudado utimamente. Eles brilham diferente e intensamente à cada dia e começo a me preocupar. Tenho medo da velocidade dessas alterações.

Na minha melhor concepção de 'mundo completo', não consigo entender a existencia de algumas pessoas, apesar disso não me preocupar tanto. O que eu menos consigo entender é o porque de certas atitudes. Ok. O mundo não é dos mais justos mesmo.

Ainda sim, tenho bastante lápis de cor e várias pessoas com bastante deles também. Pra quem quiser pintar um pouco mais de alegria na vida, até empresto os meus. Empresto. Só, por favor, não tentem borrar os meus dias. Eles estão ótimos pintados da cor que estão.
Blog Palavras é Silencio (www.fernandaprobst.com.br)

sábado, 14 de março de 2015



Os dias andam tomados e desordenados aqui adentro, ando refletindo sobre os fatos, de um modo bagunçado: faz um tempo que não me permito. E quase me adverti, delicado como precisa ser, mas de um modo errado, percebe? O fruto deveria surgir puramente, não poderia ser obrigado a acontecer. Fiquei chateada em alguns momentos, mas logo o tempo me corroeu os dias. O que permaneceu são as lembranças.
Para sossegar a baderna interna, ouso algumas melodias que fazem meu coração palpitar. Nas minhas rodas de samba as musicas viram flores e então Noel Rosa envolveu meu coração delicado permanece minha alma. Meu coração pulsa as lembranças. De uma forma doce e leve, como devo sentir. Pulsa cada detalhe da memória que saía bem aqui de dentro. E O riso permanece em meu rosto, um pouco contido por não me permitir muitas vezes.
Estou contida, dentro de uma bola de sabão, exigindo que me leve em algum universo onde a paz e delicadeza.
Talvez um pedaço tão grande de mim queira aproximar-se a níveis sobrenaturais , nesse universo que hoje é minha morada.

domingo, 1 de março de 2015

 A vida é cheia de tentativas para amanhã, mas viver somente do amanhã não é uma boa escolha.  O grande erro de nossos dias e deixar tudo para depois. Exatamente, acreditando que a sempre forma de dias para permitir o que não se fez. Perdemos o quanto delicado a vida adiando nossas escolhas.  A existência se faz bonita em pequenas coisas, aproveitando cada momento com máximo de magnitude. Assim como o sol nasce todos os dias. Viver é recomeçar todos os minutos. Num instante percebemos que estamos sobrevivendo e viver torna-se raro.
Parece-me que tudo circula no mesmo sentido, mas as tentativas são as mesmas que levam sempre a espera do dia seguinte. O tempo voa. As escolhas se tornam frágil demais. O universo desenha linhas tortas e, às vezes, não tenho como fugir porque não consigo suavizar as aflições e evitar determinadas situações. Mas apesar de tudo tenho que tentar chegar em algum lugar.