sexta-feira, 8 de julho de 2016

Ela pensava e repensava naquele instante. Procurou aquela música. A canção invade cada pedacinho da sua alma com uma doçura gostosa. A Moça sorria em segredo e sua alegria atinge seu olhar, escondido dentro de seu coração.
Já era quase fim de tarde. Suas lembranças alcançaram a luz do sol que se esconde atrás da cidade cheia de concreto, O mar era sempre sua melhor melodia. Um vai e vem sem o menor sentido de existir. Ela sentia sempre tão urgência: não há sentido, visto que quase nunca conseguia chegar aonde queria.
A música era sempre com o mesmo tom, era luz de suas pequeninas lembranças. Afoita.  Ela sente mas não consegui prosseguir. Seu coração sorria. O pensamento voa bem longe. Imagina acordada Lado a lado, aqui ou lá. Compondo a mesma canção, olhando para o mesmo luar. Sentindo o mesmo toque em cada pedacinho do corpo, com uma simplicidade gostosa. Sinto  em silêncio...

Nenhum comentário:

Postar um comentário