segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Penélope Guerreira nascida 1981. Naturalizada em São Paulo.  Vivencia seu mundo particular desde a infância. Sempre foi vista uma pessoa meia estanha no mundo social. Talvez por enxergar dentro de si um mundo único. Moça de traços fortes. Quando criança gostava de ouvir as pessoas que contavam historias de aventuras. Quando adolescente não se identificava com nenhum meio social, e vivia inteiramente no seu mundo particular. Nunca foi de ter muitos namorados porque nunca entendeu o amor como uma coisa inconstante. Sempre acreditou que o amor era algo muito maior. E quase não entendia o porquê do te amo e não te amo mais. O entendimento do amor continua à medida que a moça cresceu. Vive seu mundo platônico do cinema mudo. Adorava ouvir som do silencio de sua alma. Aos 18 anos conheceu a cultura popular e se apaixonou perdidamente pelo Brasil.. E Sua paixão por musicas Brasileiras Cresceu!
Formou-se em técnica em turismo.  Logo a, pois pelas pressões do mercado fez faculdade de Administração com ênfase hoteleira.   E mais duas Pós-graduações. Até tentou  aprendeu  outras línguas mas não consegui ir para frente ..... Rs! 
 A moça cresceu aparentemente, mas internamente continuava a mesma... 
Encantou-se pelo mundo ioga e assim conheceu a dança indiana. E novamente se apaixonou pelo mundo da índia.  Mas faltava alguma coisa dentro de si e resolveu entender a língua que falava, mas não compreendida. Então resolveu ingressar novamente em mas uma faculdade /Letras em Português e literatura, e novamente se apaixonou pelas palavras.
Apesar da dislexia na escrita aprendeu a compreender sua língua de uma forma diferenciada. Alguns dizem que esta moça e razisa, outros louca. Por ser estabanada engraçada. Mas não me importo porque gosto de ser quem eu sou.  Cada dia que passa tenho certeza que ainda tenho muito aprender. Porque nada sei! A solidão é só um processo verdadeiro de ser o que se é.  Chegando nos 35 anos (18/11) agradeço ao universo pela oportunidade de evolução junto aos meus pais e meus antepassados por me darem esta oportunidade de reencarnar. Gratidão!

               

Nenhum comentário:

Postar um comentário