segunda-feira, 24 de abril de 2017

Um silencia uma respiração que vai mais profundo. Saudade palavra que transpira dentro e fora de mim. Um desejo de se aproximar e um receio enorme de me deixar levar. Saudade do que sua presença me traz. Um calor que surge mais forte que os olhares, como as luzes que refletem em um rio. E, assim se passa o tempo.  A matéria é tão imprevisível.  Como pode um instante ficar tão marcado assim.  Nem foi uma historia daquelas que o cotidiano esta acostumado.  De rótulos amizade, namoro, noiva e casamento. Nem tivemos a parte do se conhecer.  Foi só a troca de presença. De gostos parecidos. Ideias. Não foi nada presente  foi só a lembrança  com a breve visão  da dança de  um xote simples de corpos juntos em Curitiba essa cidade gelada. O coração acompanha a dança. Nessa xote, eu sinto o mundo se desconectar, o chão flutuar e nossos sorrisos se encontrarem. A lembrança da sanfona e seu ritmo. A zabumba e nosso encontro.E de lá para cá  outros encontro.  E foi assim que a saudade sempre bate forte  e insiste  em me lembrar. Que algo existe sem existir.

quinta-feira, 6 de abril de 2017

FELINA <3
Criatura Felina
Com um andar que fascina
Olhos de gata
Com autoestima
Sou assim feminina
Olhar que penetra na alma
Que despe sem tocar
Sem tirar a calma
Mas consegue provocar
Mulher de sete vidas
Gata, leoa, onça, pantera, filha, amante
Efêmera dominante
Que o futuro da espécie
Nos garante!
 Juliana Rossi