segunda-feira, 5 de junho de 2017

Não é tão claro? Perder uma oportunidade de  tentar ser feliz por puro medo? Moça que adora ver os outros felizes, mas quase sempre se priva de si mesmo. Acho que me acostumei com minha própria companhia. Mas não quero fazer drama não. Tenho tantas saudades!
Talvez estar ausente seja pior do que presente. Mas quase sempre sinto toda a presença no vazio do vento. Ou nos versos de poema ou em cada nota de uma musica. Creio que o tempo não consegue, mas abrir um  espaço entre nos. Ok! Maria Flor não faça de tudo um problema.  Cada um escolhe o que é melhor para si. Mas cada vez, mas tenho certeza de que já estou adiando o que obvio que já existe. Nem sei, mas por aonde ir. Já passei todas as fases. A de sentir raiva sem motivo que mereça. De querer ir embora para sempre. De falar o que esta escrita nas entrelinhas. De sentir algo que me faça acreditar que você não vale nada.  De que somos diferentes demais.
A verdade é que não existe nada. Absolutamente nada para julgar. Só que o amor não tem razão para  existir.
E que a culpa só é de quem não consegui lhe dar consigo mesmo. No caso eu!
O fato é  que cada vez mas te admiro e que qualquer hora isso dará em qualquer direção.
Enfim tem certos versos que não cabem no tamanho do papel. 




Nenhum comentário:

Postar um comentário